Germinação de Sementes

Por Ross Koning

Versão original em inglês

Voltar à página da disciplina

Uma semente certamente parece morta. Ela aparentemente não se move, cresce, nem faz nada. De fato, mesmo utilizando testes bioquímicos relativos aos processos metabólicos que nós normalmente associamos com vida (respiração, etc.) as taxas são tão baixas que seria difícil determinar se realmente existe algo vivo em uma semente.

Mas, se a semente não germinar dentro de um determinado período de tempo, o embrião que ela contém morrerá. Cada espécie de semente tem um certo período de viabilidade. Algumas espécies do gênero Acer possuem sementes que precisam germinar no máximo duas semanas após sua dispersão pois, caso contrário, morrem. Algumas sementes de plantas de lótus são conhecidas por terem até 2000 anos de idade e ainda serem capazes de germinar.

No caso de uma semente ainda ser viável, o embrião dentro dela necessita algo para que seu metabolismo se mantenha ativo e inicie o processo de crescimento. O processo de germinação de uma semente pode ser simples ou complexo. Este é o tema de discussão que abordaremos.

Sementes que não possuem dormência

As sementes de plantas agriculturáveis geralmente não possuem qualquer tipo de dormência. As sementes estão prontas para germinar. Tudo o que elas precisam é alguma umidade para que seus processos bioquímicos sejam ativados e calor suficiente que permita a manutenção da química da vida. Entretanto, as sementes silvestres possuem formas de dormência.

Versão final: Profa. Helenice Mercier


  • Voltar ao início
  • Voltar à página da disciplina
  • Ir para página: 1 | 2 | 3 |